Receba as postagens por e-mail

terça-feira, 26 de março de 2013

SCORE PARA DIFERENCIAÇÃO ENTRE TV DE VIA DE SAÍDA DE VD E RELACIONADA À DAVD.




A arritmia ventricular (idiopática) da via de saída do ventrículo direito e a relacionada displasia/cardiomiopatia arritmogênica do ventrículo direito (DAVD) podem ter aspectos morfológicos semelhantes. Em ambos os casos, a extrassistolia ventricular (ESV) ou a taquicardia ventricular (TV) podem apresentar padrão de BRE com eixo para baixo, isto é, QRS negativo em V1 e positivo em II, III e aVF.
Arritmia ventricular com esta morfologia  na maioria dos casos corresponde à forma idiopática de via de saída do ventrículo direito, enquanto a DAVD é incomum. De outro modo, na maiorias dos casos, esta forma de arritmia ventricular é idiopática, mas pode ser causada por DAVD. E a arritmia de via de saída de VD tem um bom prognóstico na maioria dos casos, ao contrário da DAVD, que é associada à morte súbita. Um escore desenvolvido foi recentemente publicado, derivado da análise de uma coorte e validado prospectivamente, com a finalidade de distinguir arritmia ventricular idiopática de via de saída do ventrículo direito (VD) da arritmia ventricular associada à displasia/cardiomiopatia arritmogênica do ventrículo direito (DAVD). O escore deve ser empregado quando a extrassistolia ventricular (ESV) ou a taquicardia ventricular (TV) apresenta morfologia de BRE e eixo inferior. Por outro lado, este escore não é um substituto para os critérios revisados da força tarefa ("revised task force criteria"), que são a base para o diagnóstico da DAVD. Este escore apresenta máximo de 8 pontos, sendo que um escore ≥ 5 é compatível com arritmia ventricular por displasia arritmogênica do ventrículo direito. O escore é baseado na análise da presença ou não de inversão de T em V1 a V3 em ritmo sinusal (3 pontos, se presente) e na análise dos seguintes parâmetros do ECG da arritmia ventricular (batimentos ventriculares ectópicos ou taquicardia ventricular): intervalo QRS com duração de 120 ms ou mais em D1 (2 pontos); entalhe no QRS, definido como a presença de entalhe no QRS (no ramo ascendente ou descendente) em duas ou mais derivações, que não passa a linha de base (2 pontos) e zona de transição do QRS (1º QRS com R >= S) nas precordiais em V5 ou além (1 ponto).No estudo citado (v.referência) foi observado que um escore de 5 ou mais distinguiu de forma correta a arritmia ventricular idiopática da causada por DAVD em 94% das vezes, com sensibilidade de 84%, especificidade de 100%, VPP de 100% e VPN de 91%. Um total de 86 ECGs com arritmia ventricular (de 85 pacientes) foram avaliados.
Considero que este escore preenche um lacuna na literatura e, pela sua simplicidade, deve ser empregado com o objetivo proposto, principalmente pelos especialistas em Arritmias ou Eletrofisisiologia.

Referência:

Hoffmayer KS, Bhave PD, Marcus GM, et al. An electrocardiographic scoring system for distinguishing right ventricular outflow tract arrhythmias in patients with arrhythmogenic right ventricular cardiomyopathy from idiopathic ventricular tachycardia. Heart Rhythm 2013;0:-1–7. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário